Blog

Volta à ativa acirra disputa entre aposentados e jovens sem experiência

Diante de uma inflação mais alta, que corrói o benefício recebido da Previdência Social, e do desemprego batendo na porta de filhos e netos, homens e mulheres maiores de 75 anos entram na disputa no mercado de trabalho, em tempos de vacas magras. Sem poder usufruir da tranquilidade que a melhor idade deveria oferecer, eles brigam para voltar a trabalhar, seja formal ou informalmente. Segmentos da economia que costumam empregar trabalhadores maduros, a exemplo das redes de supermercado, perceberam a mudança na oferta de mão de obra.

“Há um ano, tínhamos que fazer parcerias para encontrar aqueles com mais de 65 anos dispostos a trabalhar. Hoje já não é necessário esse esforço. Com a crise econômica, veio a demanda espontânea deles e recebemos cerca de 150 currículos desses trabalhadores por mês em busca de alguma ocupação”, comenta a gerente-geral de recursos humanos do hipermercado Super Nosso, Viviane Veríssimo. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o desemprego no país já ultrapassou a marca histórica dos 10%, afetando 10,4 milhões de brasileiros.

A quantidade de empregos com carteira assinada no setor privado caiu quase 4% no primeiro trimestre do ano, na comparação com idênticos meses de 2015. Já o rendimento médio de quem estava trabalhando no trimestre encerrado em fevereiro era de R$ 934, queda de 3,9% na comparação com o mesmo período do ano passado, com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua.

As oportunidades também ficaram escassas. Ainda de acordo com o IBGE, a população ocupada no Brasil, de 91,1 milhões de pessoas, diminuiu em torno de 1% entre 2015 e 2016. Isso ocorreu porque a quantidade de empregos com carteira assinada no setor privado sofreu redução de 1,5% entre setembro e novembro de 2015, e de 3,8% se comparados os mesmos meses de 2014. Foram fechados no Brasil 1,367 milhão de postos de trabalho com carteira assinada. As maiores quedas foram registradas na indústria (5,9%) e nos setores de informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas (2,5%).

No hipermercado Super Nosso, foi criado no início de 2015 o Programa Sênior, que prevê a contratação de mão de obra com idade acima dos 65 anos. “Inicialmente, o projeto, como responsabilidade social e diante do envelhecimento da população, vinha suprir também a alta rotatividade entre os funcionários jovens”, comenta a gerente da rede, Viviane Veríssimo. Para contratar funcionários nessa faixa etária, a empresa fez parcerias com organizações governamentais.

“Contratando os idosos, percebemos que diminuiu a rotatividade e melhorou a qualidade do atendimento”, reconhece Viviane. Neste ano, com os efeitos da recessão, muitos candidatos se oferecem à rede para trabalhar. “Muitos moram com a família e estão diante de um desemprego do filho, da nora. Então, eles se sentem na obrigação de buscar alternativa de renda”, comenta.

ORÇAMENTO APERTADO Essa mão de obra tem as mesmas funções, inclusive, o mesmo salário, dos colegas mais novos, explica a gerente do Super Nosso. A rede oferece vagas para operador de caixa e embalador, entre outras. A remuneração varia de R$ 980 a R$ 2,5 mil, dependendo da função. Silas Pinto de Lima, de 78 anos, é um dos contratados. Ele trabalha no estabelecimento como embrulhador e diz precisar complementar sua renda. “Tenho uma filha de 11 anos para criar e, como todo aposentado, ganho pouco”, afirma.

Silas, que trabalhou em grandes empresas, como a Fiat Automóveis atua pela primeira vez no varejo. “Já havia procurado as indústrias, mas não me aceitam por causa da idade. Já fui gerente de manutenção de metalurgia e me aposentei há 13 anos”, diz. A inflação dos alimentos, os gastos com os cursos de inglês para a filha e outras despesas em casa pesam no orçamento da família de Silas, que não pensa mais em deixar de trabalhar. “Minha esposa é que cuida da casa. No supermercado, estou trabalhando das 7h às 15h20, inclusive, no fim de semana”, conta, sem reclamar. “É ótimo”, diz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Sites para consulta pública:

        



Palavras-chave: rpps, investimentos, previdência, software previdenciário, consultoria, auxílios, benefícios, cálculo atuarial, avaliação atuarial, reavaliação atuarial, instituto, regime próprio de previdência social, crp, dair, dipr, dpin, certificado de regularidade previdenciária, criar rpps, consultoria rpps, sistema rpps, fundo de investimento