Blog

Rombo põe em risco salários de aposentados e pensionistas da Capital

A denúncia de rombo de R$ 109.777.347,00 nos cofres do Instituto Municipal de Previdência de Campo Grande (IMPCG) já deixa servidores públicos apreensivos com relação ao futuro de pensionistas e aposentados.

Os sindicatos garantem que ainda não foram constatados problemas quanto ao pagamento e uso de benefícios por meio do Regime Próprio de Previdência Social do Município de Campo Grande (Previ-Camp) e o Serviço de Assistência à Saúde do Servidor (Servimed), ambos geridos pelo instituto. Entretanto, atrasos e falta de reajuste estão entre os riscos apresentados pela situação.

De acordo com o presidente do Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos (Sindnapi/MS), Jânio Batista de Macedo, a drástica redução do fundo destinado para previdência pode acarretar na falta de suporte para os que estão prestes a se aposentar, além de prejudicar os índices de reajuste futuros. “Corre o risco de não haver suporte para abarcar esses pagamentos”, explica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Sites para consulta pública:

        



Palavras-chave: rpps, investimentos, previdência, software previdenciário, consultoria, auxílios, benefícios, cálculo atuarial, avaliação atuarial, reavaliação atuarial, instituto, regime próprio de previdência social, crp, dair, dipr, dpin, certificado de regularidade previdenciária, criar rpps, consultoria rpps, sistema rpps, fundo de investimento