Blog

TCE reprova contas e imputa débito a ex-gestor de instituto de previdência

A 1ª Câmara do Tribunal de Contas da Paraíba, reunida nesta quinta-feira (07), julgou irregulares as contas do Instituto de Previdência do Município de São José dos Ramos, relativas aos exercícios 2011 e 2012.

Por proposta do conselheiro substituto Renato Sérgio Santiago Melo, relator de ambos os processos, a desaprovação incluiu, também, imputação de débito de R$ 24.400,00, ao ex-gestor Humberto Alves da Silva, entre outras razões pela identificação de despesas com serviços não comprovados. Cabe recurso.

Foi julgada regular, com ressalvas, a prestação de contas (2010) do Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Santa Luzia.

A Corte não considerou atendidas, pelo Instituto de Previdência e Assistência do Município de Cajazeiras, decisões anteriores contidas nos acórdãos AC1 TC 00704/16 e 00705/16. Foi concedido, no caso, prazo de 30 dias para o gestor atender às determinações.

Durante análise de procedimentos licitatórios, o colegiado votou pela regularidade de termos aditivos contratuais, integrantes dos processos nºs 12560/11 – 02511/12 e 04212/13, e decorrentes de licitações oriundas da Secretaria de Planejamento de João Pessoa e da Superintendência do Plano de Desenvolvimento do Estado.

E decidiu, ainda, pela regularidade do pregão presencial 09/2016, destinado à compra de equipamentos para a frota de veículos da Prefeitura de Cajazeiras; o pregão 01/2013 para locação de veículos pela Prefeitura de Santa Rita; e, ainda, a concorrência 06/11 no valor de R$ 2,7 milhões, da Secretaria de Planejamento de João Pessoa, para reforma de escolas.

Determinou, à unanimidade, o arquivamento dos processos 14525/12 e 16650/13, das prefeituras de São Miguel de Taipú e Santa Helena, relativos à execução de obras, em ambos os municípios, com recursos quase que integralmente federais.

Por isto, acompanha a decisão o envio de documentos do processo à Secretaria de Controle Externo – unidade do TCU na Paraíba.

Ao apreciar processos de concessão e aposentadorias e pensões, além de atos de pessoal relacionados em muitos casos as nomeações decorrentes de contratações por excepcional interesse público ou de antigos concursos, a Câmara votou pela concessão, caso a caso, de novos prazos variáveis de 30 a 180 dias, para apresentação de documentos e regularização de situações irregulares.

Participaram da sessão, o conselheiro presidente da 1ª Câmara, Fábio Nogueira, o conselheiro Marcos Costa, e o conselheiro substituto Renato Sérgio Santiago Melo. Pelo Ministério Público de Contas atuou o sub procurador geral Luciano Andrade Farias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Sites para consulta pública:

        



Palavras-chave: rpps, investimentos, previdência, software previdenciário, consultoria, auxílios, benefícios, cálculo atuarial, avaliação atuarial, reavaliação atuarial, instituto, regime próprio de previdência social, crp, dair, dipr, dpin, certificado de regularidade previdenciária, criar rpps, consultoria rpps, sistema rpps, fundo de investimento