Blog

Aposentadoria rural mudará com a reforma da Previdência

Após meses de discussão, o governo chegou a um consenso sobre as mudanças na forma de concessão de aposentadorias rurais. Uma fonte ligada ao grupo que trata do tema informou ao EXTRA que uma nova regra será imposta a esses trabalhadores: uma cobrança mínima de contribuição individual, com alguma frequência ainda não estabelecida. O governo deve impôr uma taxa semelhante à do microempreendedor individual (MEI), que é de 5% sobre o salário mínimo. Porém, ainda falta decidir se esse recolhimento será trimestral ou semestral.

De acordo com as regras atuais da Previdência Social, hoje, para requerer a aposentadoria rural, as mulheres devem ter, pelo menos, 55 anos, e os homens, 60, desde que comprovem, no mínimo, 15 anos de atividade rural. Dados do Ministério do Trabalho e Previdência Social de 2015 indicam que o número de benefícios rurais no país chegou a 9,4 milhões de cidadãos. Alvo de críticas, a categoria tem sido apontada como uma das principais responsáveis pelo déficit previdenciário, pois o usuário não necessita contribuir diretamente à Previdência Social para ter o benefício. Este ano, o rombo da Previdência está estimado em R$ 167 bilhões.

Outra mudança prevista está relacionada à mudança na idade para ter acesso à aposentadoria. O governo, segundo a fonte, já dá como certo o aumento da idade mínima da trabalhadora rural para 56 e do trabalhador para 61. A cada ano, seriam acrescidos três meses, até a idade chegar a 65 anos para ambos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Sites para consulta pública:

        



Palavras-chave: rpps, investimentos, previdência, software previdenciário, consultoria, auxílios, benefícios, cálculo atuarial, avaliação atuarial, reavaliação atuarial, instituto, regime próprio de previdência social, crp, dair, dipr, dpin, certificado de regularidade previdenciária, criar rpps, consultoria rpps, sistema rpps, fundo de investimento