Blog

Votação sobre criação de órgão da previdência é adiada na Alepi

Foi adiada a votação projeto de lei que cria a Fundação Piauí Previdência, na Assembleia Legislativa do Piauí, nesta terça-feira (13). Representantes de sindicatos e servidores estaduais pediram o adiamento da votação e os deputados, na Alepi, decidiram por realizar uma audiência pública na próxima segunda-feira (19) para que sejam apresentados detalhes da matéria.

Após a audiência, o projeto, que chegou à Assembleia através de uma mensagem do governador, deve ser apreciada pelas comissões técnicas na terça (20), sendo posteriormente votada em plenário no mesmo dia.

O deputado João de Deus (PT), líder do governo na Assembleia, esclarece sobre o adiamento da votação. “Na verdade, foi levantada a questão nas comissões técnicas sobre o projeto. O relatório já estava pronto, mas o conselho achou que seria melhor que os representantes dos sindicatos pudessem ter a oportunidade do conhecer melhor o teor do projeto. Então, foi levantada a questão de que pudéssemos realizar audiência na segunda-feira próxima e na terça, daqui a 8 dias, voltar a reunir as comissões para apreciar a matéria, para que seja colocada em votação em plenário na terça ainda. O governo tem pressa, mas uma semana a mais não vai causar grandes transtornos para o governo”, explicou o deputado.

Na opinião do deputado, é importante a realização da audiência, para que servidores tirem dúvidas sobre o projeto, pois o projeto é um avanço para o Piauí. “É importante que os servidores possam conhecer melhor, já que contribuem com a previdência e na minha avaliação a proposta é um avanço para o Estado, a criação de órgão autônimo administrando uma esfera do serviço previdenciário”.

Para ele, o governo não cometeu nenhum erro em voltar atrás na decisão de separar em um órgão específico, as áreas e interesses relacionados somente à previdência. “Não errou, em absoluto. Continuamos mantendo a separação da previdência, em relação à área da saúde, por exemplo. O novo governo apresenta a necessidade de vender ou alienar alguns imóveis do patrimônio público que foram cedidos ao Estado. Com a Fundação, ele vai poder tirar esses repasses por mês de aluguéis, que ficam sob a responsabilidade da previdência e não era compatível você ter o governo alugando por meio da previdência. Com a fundação, você pode alugar, e isso vai dar legalidade a essa proposta de capitalização”, finalizou.

A Fundação da Previdência é um órgão do governo do Piauí, vinculado à Secretaria de Estado da Administração e Previdência do Piauí, embora dotada de personalidade jurídica de direito público, com autonomia administrativa, patrimonial, técnica e financeira e terá a finalidade de ser a unidade gestora única do Regime Próprio de Previdência Social do Estado do Piauí (RPPS).

A questão da criação gerou polêmica após o regime de Previdência ter sido retirado, no ano passado, de administração do Instituto de Assistência e Previdência Privada do Estado do Piauí, para que funcionasse em regime próprio. Agora, com a criação do Fundo, cria-se a dúvida sobre a nova necessidade de criação desse órgão pelo governo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Sites para consulta pública:

        



Palavras-chave: rpps, investimentos, previdência, software previdenciário, consultoria, auxílios, benefícios, cálculo atuarial, avaliação atuarial, reavaliação atuarial, instituto, regime próprio de previdência social, crp, dair, dipr, dpin, certificado de regularidade previdenciária, criar rpps, consultoria rpps, sistema rpps, fundo de investimento